Prefeituras e Negócios Inovadores são premiados nos dois dias do evento que abriu espaço para o empreendedorismo nas cidades em todo o país

Em seu sétimo ano de edição, o Connected Smart Cities & Mobility retomou presencialmente o evento que discute projetos e ações de cidades inteligentes, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. Neste ano, o evento teve o formato híbrido, sendo dias 01 e 02 presencial, com transmissão simultânea no digital, e dia 03 somente digital. Foram mais de 300 palestrantes e, aproximadamente, 600 pessoas que compareceram nos dois primeiros dias de evento, além de 2.200 acessos na plataforma de transmissão online.

A  7ª edição compartilhou o mesmo espaço com o AirConnected no Centro de Convenções. A procura pelo evento veio de várias partes do Brasil. A região Sudeste representou com 46% de presença. Logo atrás, foram os gaúchos do Sul, com 21%, que mais se interessaram por conhecer os projetos de Smart Cities e cases da aviação. Em terceiro lugar, ficou o Nordeste com 17%, seguido do Centro-Oeste com 8%. A região Norte, com 5%, também não ficou de fora. Embora distante, Paraupebas, no Pará,  compareceu com uma comitiva de 15 pessoas. O Secretário Especial de Governo, Keniston Braga, diz ter ficado entusiasmado com o que presenciou no Connected. “Vamos transformar Parauapebas em referência nacional em assuntos de Cidades Inteligentes. Esse é um caminho sem volta. Um legado positivo que vamos deixar para a atual e as futuras gerações”, afirmou.

O acesso de todos palestrantes e participantes só foi permitido após ser exigido o Passaporte da Vacina, conforme decreto estadual válido a partir de 01 de setembro. Os convidados apresentaram o comprovante da primeira dose contra a Covid-19, fizeram o teste PCR e, após negativar, foram liberados para o evento. Paula Faria, CEO da Necta, e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility comentou que, mesmo antes do decreto estadual, a organização já estava cumprindo com todas as regras do protocolo de segurança. “É fundamental que a gente consiga fazer protocolos que de fato tragam segurança para as pessoas, e que a gente consiga inspirar o poder público para que ele repasse essas boas práticas de forma que as pessoas ocupem novamente os espaços de eventos”, disse a CEO.

Primeiro Dia – Ranking

No primeiro dia do evento, o ponto alto, logo depois da Cerimônia de Abertura, foi a apresentação do Ranking Connected Smart Cities 2021. Foram reveladas as 15 cidades que melhor se posicionaram no Ranking, avaliadas nos eixos de mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia, temas discutidos nos três dias de evento.

São Paulo (SP) manteve-se no primeiro lugar geral do Ranking. Florianópolis (SC) foi a segunda colocada, seguida de Curitiba (PR), Brasília (DF), São Caetano do Sul (SP), Rio de Janeiro (RJ), Campinas (SP), Niterói (RJ) e Salvador (BA). Também foram premiadas as cidades de Balneário Camboriú (SC), Belo Horizonte (MG), Barueri (SP), Palmas (TO), e Jaguariúna (SP). Prefeitos e secretários municipais receberam o troféu de cidade mais inteligente e conectada do Brasil.

Logo após o almoço, começaram os painéis em formato de mesa redonda, divididos por eixos temáticos entre cidades conectadas, cidades participativas e engajadas, cidades empreendedoras, cidades prósperas, cidades humanas, resilientes e inclusivas, urbanismo sustentável nas cidades, conectividade e integração, data analytics, tendências, mobilidade compartilhada, mobilidade ativa, veículos elétricos, e mobilidade para as pessoas.

Segundo Dia – Prêmio

No segundo dia, continuaram as mesas redondas e foram revelados os vencedores do Prêmio Connected Smart Cities 2021. Neste ano, o Prêmio foi dividido entre as categorias Negócios em Operação (com produtos ou serviços disponíveis no mercado), e Negócio Pré-Operacionais (que ainda estão em fase de desenvolvimento). De cada categoria, foram escolhidos cinco finalistas. Entre eles, houve três primeiros colocados.

Na categoria Negócios Pré-Operacionais, o terceiro lugar ficou para Vitor Dutra com o projeto da D.A.E – Dívida Ativa Eficiente, da Bahia, que criou uma plataforma para fomentar a arrecadação municipal com recuperação de dívidas públicas.  Quem levou o segundo lugar foi a On.I-Bus do Mobilidade Coletiva sob Demanda, de Brasília, que, por meio de uma plataforma, oferta serviços coletivos sob demanda. E na primeira posição, venceu o Método Bumerangue, que tem por objetivo gerenciar resíduos nos hospitais e serviços de saúde.

Já na Categoria Negócios em Operação, Erê Lab, da capital paulista, ficou em terceiro lugar com a criação de espaços lúdicos em prol da infância. Na segunda posição desta categoria, a Lemobs – Alimentação Escolar, do Rio de Janeiro, foi a eleita. A solução apoia a gestão da merenda escolar municipal com cardápios desenvolvidos por nutricionistas, que ajudam reduzir o desperdício. E como vencedor na primeira posição, ficou o Sistema Monitora Horus, de Florianópolis, que combina imagens de satélite, drones e inteligência artificial para fazer a identificação de obras irregulares e desmatamento.

Rodadas de Conexões e Negócios 

Ao longo dos dois dias, no formato presencial, e também digital, o Connected Smart Cities & Mobility, somado ao AirConnected, contou com 56 empresas participando das Rodadas de Conexões e Negócios. Foram 82 reuniões que movimentaram o mercado das organizações em busca de solucionar problemas com mobilidade urbana, sustentabilidade e infraestrutura, tanto no contexto das cidades inteligentes, como no setor aeroespacial.

A  7ª edição do Connected Smart Cities & Mobility foi um sucesso porque retomamos com entusiasmo, trazendo de volta o calor das pessoas, as discussões presenciais, o olho no olho. Esta é uma fase de recomeço e estamos apostando todas as fichas dos aprendizados que levamos com o período de pandemia”, comenta Paula Faria, idealizadora e também organizadora do evento, em parceria com Urban Systems Brazil.

“A Edição 2021 do Connected Smart Cities mais uma vez posicionou esta plataforma na vanguarda das discussões de cidades inteligentes. Primeiro por inaugurar o calendário de eventos híbridos de São Paulo de forma efetiva e muito competente. Segundo por unir poder público de diferentes esferas, empresas, academia, estudantes e especialistas em ricas discussões, com o propósito de auxiliar o desenvolvimento inteligente de nossas cidades. Tenho certeza que muitos prefeitos e secretários já voltaram às suas cidades com mais conhecimento e caminhos para melhorarem os municípios que representam”, disse Willian Rigon, diretor da Urban Systems e parceiro do Connected Smart Cities & Mobility.

 

Confira como foi o Connected Smart Cities & Mobility 2021